Crie seu próprio Site Grátis! Templates em HTML5 e Flash, Galerias em 2D e 3D, Widgets, Publicação do Site e muito mais!
PONTOS DE OXÓSSI
PONTOS DE OXÓSSI

OXOSSI

 

 

OXOSSI


Abertura

 .1


Tumba ê caboclo, Tumba lá e cá
Tumba ê, guerreiro, Tumba lá e cá
Tumba ê meu pai, Tumba lá e cá
Não me deixe só, Tumba lá e cá


 .2


A mata estava escura
Um anjo iluminou
No centro da mata virgem
Foi Seu Oxóssi que chegou
Mas ele é rei, ele é rei, ele é rei
Mas ele é rei de Aruanda, ele é rei



Pontos Individuais


 CIPÓ

Caboclo firma ponto na rodilha do cipó
É meia-noite na lua , é meio-dia no sol

 CIPÓ

Lá na Jurema, lá no jardim de Ingá
A mata escureceu, meus caboclos
Eu vi Seu Cipó caçador chegar

 FOLHA VERDE

Como é tão lindo assistir festa na mata
Ouvir o som da cascata e o lindo canto do sabiá
Que noite linda, bela noite de luar
Foi no clarão da lua que eu vi Folha Verde chegar
A mata está em festa, toda coberta de flor
Até os passarinhos cantam, meu caboclo
Eles cantam em seu louvor
Ô, ô, ô, ô, quanta beleza
Ô, ô, ô, ô, belo esplendor
Como é bom ter a certeza
Que Seu Folha Verde é meu protetor

 JUNCO VERDE

Vem Junco Verde, vem trabalhar
Das terras da Jurema
Os seus filhos vem salvar
Salve o sol, salve a lua
Salve Oxóssi também
Salve o caboclo, índio guerreiro
Salve Junco Verde que está no terreiro

 UBIRAJARA

Neste lindo céu de anil
Que reflete nas ondas do mar
Com o sol chegou Ubirajara
E veio nos abençoar
Esta correndo mares e matas
E o horizonte que nos seduz
Por trás das montanhas é onde se esconde
Com este astro cheio de luz
É nosso guia nas escaladas
Companheiro nas grandes jornadas
Nossa fé, é nossa trilha
Seguindo seu rastro que sempre brilha
Esta correndo mares e matas
E o horizonte que nos seduz
Por trás das montanhas é onde se esconde
Com este astro cheio de luz

 UBIRAJARA DO PEITO DE AÇO

Corto língua, corto mironga
Corto língua de falador
Quando chego não há embaraço
Chegou Ubirajara do peito de aço

 UBIRAJARA

Ai que penacho é aquele
É um penacho de arara
Ai quando rompe a mata virgem
É o caboclo Ubirajara

 UBIRAJARA

Ubirajara é caboclo, é flecheiro
Ubirajara veio no terreiro
Ele veio de Aruanda
Veio pra vencer demanda
 MATA VIRGEM

Caboclo, é Seu Mata Virgem
Quando ele rufa seu tambor lá na Jurema
Auê, ele é Caboclo bamba
Vem lá das matas pra salvar filhos de Umbanda

 SETE FLECHEIRO

Sete Caboclo, sete flechas, sete flecheiro
Firma seu ponto na cachoeira
Que o Caboclo vem descendo
Firma seu ponto, saravá meu pai Xangô
Quem manda lá nas matas é Oxóssi caçador

 ROXO

Caboclo Roxo, da pele morena
É o Senhor Oxóssi caçador lá da Jurema
Ele jurou e tornou a jurar pelos conselhos
Que a Jurema vai lhe dar
Oi, não me mate a cobra
Não me pise na coral
 TUPINAMBÁ

Estava na beira do rio sem poder atravessar
Chamei pelo caboclo, Caboclo Tupinambá
Tupinambá, chamei
Chamei, tornei a chamar, ê a
 TUPINAMBÁ

No centro da mata virgem
Ouvi uma coral piar
Ela piava por detrás da pedra
Enrolada no bodoque de Tupinambá

 TUPINAMBÁ

Batuque no terreiro é Tupinambá
Se é pele vermelha, se é Tupinambá oi
Flecha, flecha, flecha para todo o mal levar
 TUPINAMBÁ

Tupinambá é ganga na macaia
Tupinambá, ê ê, Tupinambá
Tupinambá guerreiro de Oxóssi
Tupinambá, ê ê, Tupinambá
Tupinambá não perde uma demanda
Tupinambá, ê ê, Tupinambá
Tupinambá vem defender seus filhos
Tupinambá, ê ê, Tupinambá
Só não apanhe as folhas da Jurema
Sem ordem suprema do Pai Oxalá

 TUPINAMBÁ

Lá bem no alto da serra
Eu escutei uma coral piar
Era uma linda jibóia
Ferida com a flecha de Tupinambá

 TUPINAMBÁ

Ouvi naquela mata, Oxóssi assobiar
Ele é meu Pai e mandou chamar
O seu Tupi, o seu Guarani
E também mandou chamar o seu Tupinambá
Tupinambá, Tupinambá
Chefe guerreiro, Tupinambá, Tupinambá
Está no terreiro, Tupinambá, Tupinambá
Filho de Umbanda, Tupinambá, Tupinambá
Venceu demanda

 TUPINAMBÁ

Piava, piava de arrepiar
Era uma enorme jibóia
Enrolada no bodoque
De Tupinambá

 TUPINAMBÁ

O meu manacá já não dá mais flor
Ai eu vou plantar
Uma semente do meu manacá
Ai como é linda essa madrugada
Povo de Umbanda vem trabalhar
Tupinambá é Pai de Terreiro
Tupinambá no reino está

 TUPINAMBÁ

No centro da mata virgem
Eu vi uma coral piar
Ela piava porque estava presa
Amarrada no bodoque de Tupinambá
Auê, auê, auê, auê, meu Caboclo, auê

 AYMORÉ

A água com areia não pode demandar
A água vai embora, a areia fica no lugar
Zum, zum, zum, zum, chegou Seu Aymoré
Caboclo Flecheiro pra salvar filhos de fé

 SETE FLECHAS

Ê, ê ê, ê ê ê ê ê ê ê ê ê á, ê á
Ê, ê ê, Caboclo Sete Flechas no Congá
Saravá seu Sete Flechas ele é o rei da mata
A sua bodoca atira paranga
A sua flecha mata

 SETE FLECHAS

Com sete dias de nascido
A Jurema o encontrou
Deitado na folha seca
O caboclinho ela criou
Curimbembê, curimbembá
Sete Flechas, o grande Orixá
Nasceu na mata de Oxóssi
Na aldeia de Juremá
O caboclinho Sete Flechas
Iluminado por Oxalá
Curimbembê, curimbembá
Sete Flechas, o grande Orixá

 SETE FLECHAS

Foi numa tarde serena
Lá nas matas da Jurema
Que eu vi o caboclo bradar
Quiô, quiô, quiô, quiô, quiera
Sua mata está em festa
Saravá seu Sete Flechas
Que ele é o rei da floresta

 COBRA CORAL

Cobra Coral é caboclo
Trabalha lá na mata
Junto com Arranca Toco

 PENA BRANCA

Saravá seu Pena Branca
Saravá seu Abacé
Traz na frente o seu bodoque
Pra defender filho de fé
Ele vem de Aruanda
Trabalhar neste Abaçá
Saravá seu Pena Branca
O guerreiro de Oxalá
Sua flecha vai certeira
Vai pegar no feiticeiro
Que fez juras de mandingas
Para os filhos do terreiro
Pega o arco, atira a flecha
Que este bicho é corredor
Mas deve ser castigado, ele é merecedor

 PENA BRANCA

Ele é o rei, o rei do Panaiá
Ele é Oxóssi, Pena Branca Panaiá
Vencedor de pemba de mãe Jurema

 PENA BRANCA

Na mata virgem a coral piou
Um filho passou e ficou escutando
Cadê Seu Pena Branca de Umbanda
Que até agora ainda não chegou

 PENA BRANCA

Eu estava na mata, eu estava trabalhando
Seu Pena Branca passou me chamando
Egô, egô, onde é que mora
Eu moro nas matas de Nossa Senhora
Ele vem, ele vem, ele vem trabalhar
Ele é Seu Pena Branca da tribo Guará

 PENA BRANCA

Um grito na mata ecoou
Foi Seu Pena Branca que chegou
Com sua flecha com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar
 PENA BRANCA

Seu Pena Branca puxa a corimba
A sua banda manda chamar
Ajuda Seu Pena Branca
Pra todo mal destes filhos levar

 PENA BRANCA

Que penacho é esse que eu vejo brilhar
É Seu Pena Branca que aqui vai chegar
Firma seu ponto ora veja seu cocar
É Seu Pena Branca que aqui vai chegar
Mas que Luz é essa que eu vejo brilhar
É Seu Pena Branca que aqui vai chegar
Firma seu ponto saravá Pai Oxalá
É Seu Pena Branca que aqui vai chegar

 PENA BRANCA

Vem oh caboclo
Vem Pena Branca
Vem trabalhar
Vem dar esperança
És caboclo da fé e esperança
Da luz vibrante
Da força branca

 JUNCO VERDE

Estava na mata caçando
Quando ouvi Oxóssi bradar
Seu brado me dizia
Que Junco Verde vinha trabalhar
A estrela de Oxalá ilumina
Iluminando Junco Verde no congá

 JUNCO VERDE

O, filhos de Umbanda
Seu Junco Verde veio ajudar
Que bela surpresa
Vem de Aruanda nos abençoar

 FOLHA VERDE

Seu Folha Verde vem descendo a serra
Seu Folha Verde vem do Juremá
Seu Folha Verde vem com seu capacete
Na Aruanda
Oi, pisa na Umbanda ê ê

 TABAJARA

Jirundidaiba de Catenguá
Jurundidaiba já vai girar
Seu Caboclo Tabajara já chegou pra trabalhar

 TABAJARA

Soou o tambor na mata
Seu Tabajara bradou
Okê Okê ...Odê 3x
O bodoque firmou
A flecha atirou
Foi Seu Oxóssi quem abençoou...
Okê Okê Odê 3x

 FLECHA DOURADA

Caboclo vai, caboclo vem
Caboclo Flecha Dourada é quem vem
Mas ele é o Caboclo da mata
É Flecha Dourada que vem

 ÁGUIA BRANCA

Um grito na mata ecoou
Foi seu Águia Branca que chegou
Com sua flecha, com seu cocar
Seu Águia Branca vem nos ajudar

 TUPAÍBA

Nós somos dois guerreiros, dois irmãos unidos
Meu nome é Tupaíba, sou filho de Aymoré
Lá na tribo Guarani, meu irmão chama Peri

 TUPAÍBA

Tupaíba, caboclo valente
Tupaíba, caboclo de fé
Tupaíba quebra mandinga
Com a força de Jesus de Nazaré

 FLECHEIRO

Ele é caboclo ele é flecheiro
Bumba na calunga
É matador de feiticeiro
Bumba na calunga
Ele vem firmar seu ponto
Bumba na calunga
Firma aqui neste terreiro
Bumba na calunga

 FLECHEIRO

Ele vem de tão longe
Cansado de caminhar
Salve o caboclo Flecheiro
Que vem saravar seu congá
Pra chegar neste terreiro
Ele cortou tanto cipó
Atravessou a mata virgem
Veio na fé do Pai Maior
 
 ROMPE MATO

Auê, Rompe Mato 4x
Rompe Mato puía mato
Pra fazer seu jacutá
Rompe Mato é caboclo brasileiro
Rompe Mato é chefe de terreiro

 ROMPE MATO

Vermelho é a cor do sangue do meu Pai
E verde é a cor das matas
Oi, saravá Seu Rompe Mato da Jurema
Oi, saravá a banda que ele mora
 
 ROMPE MATO

Seu Rompe Mato coroou
Sete Pereiras na floresta
E as matas se enfeitaram
Era uma cidade em festa
E os caboclos se enfeitaram
Com as folhas da guiné
E depois que curiavam
Cantavam que bom Odé
Mas que bom Odé
Mas que bom Odé
 JURUÁ

Ai se não fossem as folhas da Jurema
Lá na mata o que seria do Caboclo Juruá
E a Jurema, a Jurema, a Jurema
E a Jurema do Caboclo Juruá

 DO RIO

O rio vem descendo, o Caboclo vem junto
No tronco da Jurema o Caboclo vem gritando
Oxóssi é meu pai, demanda eu venço
Sou o Caboclo do Rio, aiêiê ooo

 JUPIARA

Eu vi no céu uma estrela que brilhou
Foi o caboclo Jupiara que chegou
A sua lança é da nação,
O seu bodoque a união
A mata sua morada, ele brilha na estrada
Vem trazendo amor, ele é caboclo Jupiara
Trazendo força e bondade
Ele é caboclo de Oxóssi
Ele é caboclo guerreiro
No seu peito traz a paz
Traz esperança e caridade

 VENTANIA

Ogam segura o toque
Com Deus e a Virgem Maria
Oxalá é meu Pai
Saravá seu Ventania

 DA AREIA

Na beira do rio verde
Eu vi um caboclo na areia
Pegando peixe miúdo
Pra levar pra sua aldeia
Caboclo pega o anzol
Em noite linda e clara
Pra pescar no rio verde
Por ordem de Mãe Iara

 SETE ESTRELAS

Sete Estrelas é caboclo no céu
Sete Estrelas é caboclo na terra
Veio brilhando
Na banda veio saravá
Todo mal veio cortar
Caboclo vem da mata
Da mata traz seu poder
Arreia caboclo, arreia
Arreia que eu quero ver

 SETE ESTRELAS

E vem a barra do dia
Juntamente com a barra do mar
É a falange do Sete Estrelas
Que veio trabalhar
Estrela ô, estrela ô
Estrela que é nossa guia
Chegou seu Sete Estrelas
Com Deus e a Virgem Maria

 SETE ESTRELAS

Seu Sete Estrelas vem descendo a serra
Seu Sete Estrelas vem de Juremá
Seu Sete Estrelas
Com seu capacete de Aruanda
Pisa na Umbanda auê

 JUPIRA

Oh, lá no alto da serra sua cobra piou
Foi no alto da serra onde Jupira passou
Cobra que pia, cobra que chora
É no alto da serra onde Jupira mora

 CABOCLINHO(A) DO MAR

Pronto cheguei
Eu venho da beira do mar
Atirando a minha flecha, auê
Minha tribo vai chegar, auê, auê, auê
A ordem é de Deus quem dá
Eu sou, eu sou, a Caboclinho(a) do Mar
Pronto eu cheguei,
Caboclinho(a) é de Yemanjá

 ARRUDA

Fui buscar no meu congá
Que eu deixei lá na Aruanda
Aqui está o Caboclo Arruda
Pra vencer esta demanda
A falange do Arruda é de força é de ação
Da Virgem Nossa Senhora
Eles têm a proteção

 PENA VERDE

Caboclo Pena Verde
É minha luz, é meu guia
Éle é de Oxóssi, filho da Virgem Maria
A sua luz ilumina o escuro
Todos seus filhos no terreiro estão seguros

 PELE VERMELHA NORIGUÁ

Mato kiamba ê
Mato kiambá
Mato kiamba ê, Noriguá
Mato kiambá
É caboclo de pele vermelha
Que veio da aldeia do Canadá
Seu Noriguá é um cacique herói
Que veio da mata para nos salvar
Noriguá ê, aiê Noriguá
 SAMAMBAIA

Quanto tempo que eu não bambeio
Hoje eu vim pra trabalhar
Sou Caboclo Samambaia
Vim aqui pra te ajudar

 ARAÚNA

Na mata virgem da Jurema
O Uirapuru cantou
Ao revoar lá nas campinas
Um rouxinol anunciou
Oi, saravá nesta Aruanda
Seu Araúna chegou
Ele é caboclo lá, ele é caboclo aqui
Oi saravá Seu Araúna
E a falange Guarani

 DA MATA VIRGEM

Caboclo da Mata Virgem
Da mata cerrada lá na Jurema
Quem manda na mata é Oxóssi
Quem manda no céu é Oxalá
Okê caboclo, quero ver girar
Quero ver caboclo de Umbanda arriar

 UBIRAJARA

Ele é Ubirajara
Seu saiote é de pena
Seu capacete é de Arara
 UBIRAJARA

Oh, que penacho é aquele
Ë um penacho de arara
É quem rompe a mata virgem
É o Caboclo Ubirajara
 DO MATO

Caboclo do Mato trabalha
Com São Cipriano e Jacó
Trabalha com chuva e com vento
Trabalha com a lua e com sol

 DA LUA

Luar, luar
Caboclo da Lua já chegou
Vai dizer a sua mãe
Que o Terreiro ele salvou
 SETE FOLHAS

Cadê seu Sete Folhas
Da raiz do Oricá
Vai chegar Seu Sete Folhas
Com licença de Oxalá

 REI GUINÉ

Quando a Aruanda se abre
Eu quero ver quem é
É o teimoso de Aruanda
É o Caboclo Rei Guiné

 GUARÁ

Quando a lua dormiu
O sol raiando a esperança surgiu
Eu caminhei pra mata que meu Pai é rei
Sol no céu passeando,
Eu na mata a caminhar
Folhas verdes sombreando,
Não deixando o sol passar
Sombras que vão se formando,
Pelas terras de Guará
Pelas matas vão guiando,
Esse filho de Oxalá
Eu vou lá pra ver o meu Caboclo Guará
De repente o sol dormiu
Toda mata escureceu
Com a lua que surgiu
Seu Guará apareceu
Em suave Ave Maria
Que no céu o anjo cantou
Seu Guará de lá descia
Com a noite que chegou
Eu chorei quando seu Guará me abençoou

 DAS SETE ENCRUZILHADAS

Eles são três caboclos
Caboclos do Jacutá
Eles giram noite e dia
Para os filhos de Oxalá
7 com mais 7 com mais 7 vinte e um
Salvando os três 7, todos 3 de 1 a 1
Sete Montanhas giram
Quando a noite vai chegar
Seu irmão Sete Lagoas
Quando o dia clarear
E ao romper da aurora
Até alta madrugada
Gira o Caboclo
Das Sete Encruzilhadas

 DAS SETE ENCRUZILHADAS

Chegou, chegou
Chegou, com Deus, chegou
Chegou,
O Caboclo das Sete Encruzilhadas

 URUBATÃO DA GUIA

Chegou Urubatã de Guia
Que veio para seus filhos salvar
Rebenta corrente de ferro e de aço
Estoura cadeias de bronze
O sol e a lua vem saindo
E vem a Estrela da Guia
Eu trago em meu bronze gravado
O nome da Virgem Maria

 JANGUARÁ

Rompendo matos e ventos
Para seus filhos salvar
Chegou, chegou agora
O Caboclo Janguará
Lá na Aruanda
Onde o galo cantou
Trabalhos de Janguará
Nosso Senhor coroou
Chegou, chegou
Deixa meu povo chegar
Chegou o rei dos Bugres
Com Caboclo Janguará

 BRANCA LUA

Ele veio de tão longe
Da cidade da Jurema
Saravá seu Branca Lua
Vem com a ordem suprema

 BRANCA LUA

Seu Branca Lua quando vem d’aldeia
Ele traz na cinta uma cobra coral
Oh, é uma cobra coral

 TURURI

Um instante meus irmãos
Eu vos quero saudar
Há muito que aqui ando
Querendo vos ajudar
Sou filho de Urutã
Nas matas onde eu nasci
Lá recebi o nome
De Caboclo Tururi
Meu Pai é Caboclo guerreiro
Minha Mãe é Mamuri
Quando quiseres auxílio
É chamar por Tururi
Deus é Pai de todos
Somos irmãos de Javari
Quando tiveres demanda
É chamar pelo Tururi
Quando tiveres demanda
Dessas que vejo aqui
Chamai pelo vosso irmão
O Caboclo Tururi
Que Deus proteja a todos
E dê forças ao chefe Timbiri
Pois quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi
Que o manto da Virgem Mãe
A todos possa cobrir
E que debaixo desse manto
Trabalhe sempre Tururi
Boa noite meus irmãos
Que a paz fique aqui
Quem pede nesse momento
É o Caboclo Tururi

 VIRA PAU

Com tanto pau no mato eu não tenho guia
Caboclo Vira Pau vai trazer a guia
Com tanto pau no mato eu não tenho guia
Eu trago esta pemba pra cruzar a guia

 COSTEIRO

Salve o Caboclo das Matas
Salve o Caboclo Costeiro
Que ronda a beira das praias
E é filho lá do coqueiro

 JARACUTINGA

Caboclo Jaracutinga bebe água no coité
Tira ponto na Jurema, atira flecha sem ver
 TIMBI

De onde vens Timbí? Venho do reino do céu
Descamba a ladeira, Oh Timbí
Passa pro lado de cá

 DA CACHOEIRA

É o índio 3x
Ele é o índio aonde o sol nasceu
Seu Cachoeira na Umbanda
Ele é o índio aonde o sol nasceu

 JIBÓIA

A coral é sua cinta,
A Jibóia é sua lança
Oi, que zoa, que zoa, que zoa, e
Caboclo mora na mata.............bis

 PONTA DO MAR

A obrigação que eu fiz
Com minha Mãe Yemanjá
Pedindo sua licença
Pra no terreiro vir trabalhar
Oh minha Mãe Yemanjá
Rainha do Céu, da Terra e do Mar
Quem pede a sua licença
É o Caboclo da Ponta do Mar

 TIRA-TEIMA

Lá na mata eu vi um caçador da Jurema
Eu vi Seu Tira-Teima
Com seu saiote de pena
Oi lá na mata da Jurema

 TUPI

O Seu Tupi já vem chegando
De Aruanda
Trazendo Pemba pra salvar
Filhos de Umbanda
Ele é guerreiro, ele é flecheiro,
Atirador
Lá na Jurema Seu Tupi é vencedor

 TAPUÍ

Tapuí..... Tapuí.......
É índio, é guerreiro, é Orixá
Vem lá das matas pra quebrar
Demanda neste Congá
Tapuí..... Tapuí.......
Com seu arco e sua flecha
É filho de Sete Flechas, é Orixá
Vem lá das matas pra quebrar
Demanda neste Congá

 Pontos de Linha

 1.

Bota fogo na mata,
Chama, chama que ele vem
Ele vem de Aruanda,
Chama, chama que ele vem

 2.

Quem tem santo tem caboclo
Agora que eu quero ver
Se o caboclo é confirmado
No Terreiro vai descer

 3.

Quem é o cavaleiro
Que vem de Aruanda
É Oxóssi em seu cavalo
Com seu chapéu de banda
Quem é este cacique,
Glorioso e guerreiro
Vem montado em seu cavalo,
Vem descer neste terreiro
Vem de Aruanda, auê
Vem de Aruanda, auá
Ele é filho do verde, ele é filho da mata
Saravá, Nsa. Senhora, a sua flecha mata
Vem de Aruanda, auê
Vem de Aruanda, auá.
 
 4.

Caboclo não tem caminho pra caminhar
Caminha por cima das folhas
Por baixo das folhas, em todo lugar
Okê, Caboclo

 5.

Vestimenta de caboclo é samambaia
É samambaia, é samambaia
Saia caboclo, não me atrapalha
Saia do meio da samambaia
 6.

Quem manda na mata é Oxóssi
Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador
Ouvi meu Pai assobiar, ele mandou chamar
Vem de Aruanda, ê
Vem de Aruanda, á

 7.

Oh Oh Oh Oh. oh oh..Oh Oh Oh Oh ohoh
Oxossi gritou, Ogum ouviu
Um guerreiro mandou
O filho da lei
Ogum ou Oxóssi, Oxóssi ou Ogum
De um lado a espada, o bodoque na mão
Caboclo de Oxóssi a flecha atirou
Oxalá atendeu e a flecha guiou...

 8.

Caboclo venceu demanda
Para o povo de Umbanda
Na ponta de sua flecha
Quando veio de Aruanda
Venceu, caboclo venceu
Do fundo da mata virgem
Oxalá gritou
Esse filho é meu 3x

 9.

A coral é sua cinta
A jibóia é sua laça
Quizoa, quizoa, quizoa ê
Caboclo mora na mata
 10.

Caboclo baixou na terra, é caboclo
Levantou poeira, é caboclo, baixou na terra

 11.

Oxóssi mora na raiz da gameleira
Ogum lá na Aruanda
Pai Xangô, lá na pedreira

 12.

Oxóssi mora no tronco da amendoeira
Ogum mora na lua e Xangô lá na pedreira

 13.

Estava chovendo e relampejando
Mas mesmo assim o céu estava azul
Firma seu ponto na folhas da Jurema
Que Oxóssi é dono do aracajú

 14.

Oxóssi é rei no céu, Oxóssi é rei na terra
Ele não desce do céu sem coroa
E sem a sua missão cá na terra

 15.

Viva Oxóssi ê, meu São Sebastião
Oxóssi é caboclo morador lá do sertão
Viva Oxóssi, viva São Sebastião
Viva todos os caboclos,
Morador lá do sertão

 16.

Em forma, em forma
Em forma Oxóssi Sete Ondas
No recinto de Umbanda ele é de lei
Viva Oxóssi, ele é de lei
Sete Ondas reluziu quando Oxóssi surgiu

 17.

O Seu Oxóssi mora lá nas matas
Onde pia a cobra, lá na Jurema
Seu capacete é de penas de ema
Ele é Oxóssi, capangueiro da Jurema

 18.

Oxóssi é cassutê de Umbanda
É na Aruanda! É na Aruanda auê

 19.

Atira, atira, eu vai atirar!
No rei bamba eu vai atirar!
Veado no mato é corredor
Oxóssi na mata é caçador

 20.

É Zambi quem governa o mundo
É Zambi quem vem governar
É Zambi que governa a estrela
Que clareia Oxóssi lá no Juremá
Okê! Okê! Okê!
Okê! , meus caboclos, okê!

 21.

Oh viva São Sebastião
Nos caminhos que passou
Salvar filhos de Umbanda
Jesus Cristo é quem mandou
Oh viva São Sebastião

 22.

Xangô na pedreira bradou
Ogum lá na lua confirmou oh Juremá
Oxóssi na mata é caçador

 23.

Oh ele é capitão na marambaia 3x
Oh, ele é Seu Oxóssi na urucaia

 24.

E o veado figiu e Oxóssi chegou na Bahia
Segura o ponto, mamãe sereia Oh Ganga

 25.

Oxóssi não há Tatá Nuarou oh
É babá é barebou
Oxóssi, vossos filhos ele salvou
É babá é barebou

 26.

Eu já cansei de pedir, senhor
Uma choupana pra eu poder morar
Ele me disse com firmeza
Precisa ordem de nosso pai Oxalá

 27.

Oxóssi vem, vem chegando de Aruanda
Oxóssi vem, vem salvar filhos de Umbanda

 28.

Naquela estrada de areia,
Aonde a lua clareou
Onde os caboclos pararam
Para ver a procissão de São Sebastião
Okê, okê caboclo
Meu pai Oxóssi é São Sebastião

 29.

Oxóssi assobiou lá no Humaitá
Ogum venceu demanda
Companheiro de Oxalá

 30.

Estava na minha praia,
vi a sereia cantando
As ondas do mar chorando,
Yemanjá, Yemanjá
Sou Beira-Mar, Beira-Mar
Deixa a sereia cantar
Não deixa as ondas chorar

 31.

O vento na mata zuniu
Folha seca balançou
Saravá Oxóssi, nossa banda saravá
Ele vem com Deus nosso senhor

 32.

Oxóssi assobiou na mata
Ogum bradou no Humaitá
Filhos de Umbanda louvaram
Saravá, Oxóssi, saravá

 33.

Fez barulho na cachoeira,
Sobre a pedra ela rolou
Com sua flecha certeira
É Oxóssi que chegou

 34.

Oxóssi quando vem lá de Aruanda
Trazendo forças pra seus filhos de Umbanda
Ele é caboclo, ele é flecheiro atirador
Na Aruanda todo Oxóssi é caçador

 35.

Oxóssi mora na lua
Só vem ao mundo para clarear
Queria ver um Oxóssi
Para com ele eu falar

 36.

Caboclo não tem caminho pra caminhar
Caminha por cima da folha
Por baixo da folha
Por todo lugar
Okê, caboclo
Caboclo não tem caminho pra caminhar
Seu caminho está aberto, caboclo pode passar
Ele vai girar e vai girar
Caboclo filho de Umbanda
Filho de Oxóssi e Oxalá
Quando a lua surgir, ele vai gira

 37.

Oxóssi na mata é rei
Oxóssi na mata é
Que passa pelos caminhos
Sem deixar marca no pé
Caboclo não desacata
Caboclo sabem quem é
Quem anda dentro da mata
Sem deixar marca no pé
Oxóssi na mata é rei
Oxóssi na mata é rei
Quem passa pelos caminhos
Sem deixar marca no pé
Ele tem flecha e bodoque
Ele tem lança e cocar
Na mata está o seu reino
E na mata reinará

 38.

Oxóssi ê ê, Oxóssi ê á
Oxóssi é rei das matas
Onde canta o sabiá
Eu vou pedir licença para Oxóssi
Para saravar nas matas da Jurema
Saravá pai Xangô lá na pedreira
Firma seu ponto, mãe Oxum, na cachoeira


 39.

Como é bonito o pisar dos caboclos
Andando na mata
No rastro um do outro
Salve os caboclos, salve Iemanjá
Salve a sereia, rainha do mar


 40.
Ai não mexa na espada de Ogum
Ai não mexa no penacho de Oxóssi
Ai não mexa no machado de Xangô
Oxóssi na mata é caçador

 41.

Eu vim da mata
Ó que mata é a sua?
É de lá e é de cá
É onde pia a cobra, onde canta o sabiá
Eu vim da mata, sou da tribo do Cajá
Vim trazer minha falange
Pra todos descarregar

 42.

Auê. auê meus caboclos, auê 4x
Caboclo mora na mata
Na beira da Sapucaia
Caboclo come folha
Se veste de samambaia
Auê, meus caboclos, auê 4x
Salve Cabocla Jupira
Salve Cabocla Jurema
Saravá seu Sete Flechas
Saravá, seu Tira Teima

 43.

Naquela mata tTem sete coqueiros
São sete cobras todas a piar
Mas eles são
Todos os caboclos da Umbanda
Sua mironga lá no Juremá

 44.

Caboclo vem da Aruanda
Caboclo vem trabalhar
Caboclo tem sete penas
Amarradas com caruá

 45.

Se és caboclo, se és guerreiro
Se és filho de Umbanda
Pega a pemba, risca o ponto
E vem trabalhar

 46.

Oxóssi é o rei da mata,
Seu reino é o Juremá
Oxóssi firma ponto por ordem de Oxalá
E quando o sol desponta
Passarinhos a cantar
Saúdam meu Pai Oxóssi
E o reino de Juremá
 47.

Soltei a coral no mato
Pra caçar meus inimigos
A coral foi e voltou
Ninguém quer brigar comigo

 48.

Os caboclos desceram lá do alto da serra
E traziam no peito uma cobra coral
Mas hoje é dia de alegria
No terreiro de Umbanda
Saravá meus Caboclos de ronda

 49.

Vento que vem
Oi que vem das matas
Olhas as matas quebrando
E os Caboclos chegando

 50.

Ajoelha caboclo, tu não é judeu
Tu foi batizado pela lei de Deus
Padrinho e Madrinha
Foi Deus quem te deu
Meu Ananá, meu Ananá

 51.

Caiu uma folha na Jurema
Veio o sereno e molhou
E depois veio o sol, enxugou, enxugou
E as matas se abriram toda em flor

 52.

Mangueira, mangueira
Mangueira de Umbanda
Folhas por folhas Umbanda
Lá no mato tem Umbanda
Vamos cruzar para salvar
Filhos de Umbanda com seu patuá

 53.

É lá na Jurema que o caboclo luta
E vence demanda com Oxossi seu rei
Com o arco e a flecha e o canto de guerra
Atira-se a luta e sai vencedor
De joelhos em terra o chefe da tribo
Agradece a vitória a Jesus Redentor

 54.

Eu vim da mata, o que mata é a sua
É de lá do Oricá, aonde pia a cobra
Aonde canta o sabiá
Eu vim da mata
Sou da tribo do Guajá
Eu vim trazer minha falange
Para vir descarregar

 55.

Caboclo da Mata Virgem
Plantou raiz nasceu flor

 56.

Eu deu um tiro, meu pai, na sapucaia
Não há caboclo que não ouça
E aqui não caia

 57.

Okê caboclo, vem ver a sua aldeia
(Nome) vem ver a sua aldeia
Todos os caboclos vêm ver a sua aldeia

 58.

Oxossi gira, ele gira na macaia
Gira, gira no meu terreiro
Gira, gira na minha banda
 
 59.

No centro da mata eu vi
Dois nomes gravados num toco de pau
De uma lado o Seu Rompe Mato
No outro o Seu Cobra Coral
No centro da mata eu vi
Seu Rompe Mato falava na
língua dos Guaranis


 60.

Auê, auê, caboclo
Auê, auê, eu quero ver
Auê, auê, caboclo
Trabalha que eu quero ver

 61.

Ele é caboclo, ele é Juremeiro
Que na Alvorada tem penas carijós
Bateia, oi bateia
Bateia, meu caboclos na aldeia
Bateia, oi bateia
Bateia com o vento na areia
Bateia, meu caboclos bateia
Os caboclos na aldeia e a Sereia na areia

Demanda

 1.

Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxóssi
Onde eu passava o meu dia
Ai não fui eu Oxóssi
Que puderam lhe fazer
Foi amarrar de pé e mão
Amarrado num tronco de árvore
Ai como um cão, cão de verão
Ai quem cortou meu pé de árvore
Ai não fui eu Oxóssi
Ai foi São Jorge quem mandou
Ai não fui eu Oxóssi
E depois de tudo isso
As sete flechas ele alcançou
São Jorge gritou na Aruanda
Foi seu irmão quem te amarrou

 2.

Rei caçador, rei caçador
Rei caçador na beira do caminho
Oi não me mate esta coral na estrada
Ela abandonou sua choupana, caçador
Foi no romper da madrugada

 3.

Rei caçador, rei caçador
Rei caçador na beira do caminho
Oi não me mate esta coral na estrada
Ela já venceu sua demanda, caçador
Foi no romper da madrugada
Que a folha da mangueira ainda não caiu

 4.

O meu São Sebastião
Fostes preso e amarrado
Livrai-nos dos inimigos
Que nos traz acorrentado

 5.

Ele é caboclo, ele é flecheiro
Bumba na calunga
É matador de feiticeiro
Bumba na calunga
Quando eu vai firmar meu ponto
Bumba na calunga
Eu vai firmar é lá na Angola
Bumba na calunga

 Subida

 1.

A sua mata é longe
E eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Adeus, Caboclos, adeus flecheiros
Eles vão embora
E vão beirando o rio azul

 2.

Caboclo pega a sua flecha
Pega o seu bodoque o galo já cantou
O galo já cantou na Aruanda
Oxalá lhe chama para sua banda
 
 3.

Na aldeia de Juremá
O Caboclo Sete Flechas
Iluminado por Oxalá
Curimbembê, curimbembá
Sete Flechas, um grande Orixá

Caboclas

Eu vi chover, eu vi relampear
Mas mesmo assim o céu estava azul
Firma seu ponto nas folhas da Jurema
Que Oxóssi reina de norte a sul

 

 

 

Pontos Individuais


JUREMA




JUREMA

O Juremê, O Juremá
Suas folhas caem serenas, ó Jurema
Dentro deste Congá
Salve o sol e salve a lua
Salve São Sebastião
Salve São Jorge Guerreiro
Que nos deu a proteção
Ó Jurema
 

 JUREMA

No centro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote, feito de penas
É a Jurema, filha de Tupi
Jurema, Jurema, Jurema
Linda cabocla filha de Tupi
Ela vem lá do Juremá
Vem firmar seu ponto neste congá

 JUREMA

Jurema, Jurema, cabocla ela é
Trabalha com flechas pros filhos de fé
Oxóssi bambaruê,
Jurema bambaruá

 JUREMA

Lá nos campos de Jurema
Ouvi tambores tocar
E na mata iluminada
Os passarinhos a cantar
Não sei se era noite
Não sei se era dia
Só sei que na Jurema era tudo alegria

 JUREMA

Brilhou um clarão no céu
Ai, ai, ai meu Deus, o que será?
Onde estarão as caboclas da Jurema
Que até agora não apareceram
 JUREMA

É o rei da mata virgem
Dá licença que eu venho saravar
Cabocla Jurema e os seus caboclos
Da mata virgem na fé de Oxalá
Jurema é o seu filho
Quem lhe chama, Jurema
Salve o povo da Umbanda

 JUREMA

Onde está a Jurema
A Jurema onde está
Está procurando os capangueiros
Que ainda estão no Juremá
Quem mandou chamar
Em nome do Pai Oxalá
Foi seu Oxóssi o caçador
Que já baixou no seu congá
Salve todo o povo da Jurema
Salve a sua luz, seu jacutá
Levando todos os males de seu filhos
Deixando paz e amor
Na fé de Oxalá

 JUREMA

Enfeitei a Cabocla de Pena
Soltei na mata para passear
Botei dois índios para procurar
Pra ver a força que a Jurema tem

 JUREMA

Jandira traz nos cabelos uma rosa
Jupira traz no peito um jasmim
Jussara é uma linda Cabocla de pena
Jurema tem pena de mim
Jurema, Jurema
Jurema tem pena de mim

 JUREMA

Chegou Jurema
No terreiro ela baixou
A Cabocla vem sorrindo
Demonstrando o seu amor
A Cabocla Jurema está
Protegendo esse congá
Ela veio de Aruanda
Pro terreiro saravar

 JUREMA

Lá naquela floresta
Tem uma pele morena
Quando a lua clareia
Pra saravar todo povo da Jurema
Jurema de Juremá
Jurema de Juremá
É uma cabocla de pena
Vamos todos saravar
Ai, quiô, quiô, quiá, quiá
 
 JUPIRA

Jupira é uma cabocla tão linda
Quando vem da mata
Ela vem sorrindo
Saravá Pemba, saravá nosso Congá
Saravá mamãe Oxum e nosso Pai Oxalá

 JANDIRA

Quem quer viver sobre a terra
Quem quer viver sobre o mar
Chama a Cabocla Jandira
Chama a Sereia do Mar
E Jandira e Jurema

 GUARACIRA

Tupã é o meu rei
Oxóssi é rei também
Sou filha de Jurema e de Tupi
Sou filha de Tupã
Cabocla Guaracira

 JANDIRA

Quem quiser viver sobre a terra
Quem quiser viver sobre o mar
Chama a Cabocla Jandira
Chama as sereias do mar
Aruê ruê, aruê ruá
Aruê Jandira

 IRACEMA

Iracema cabocla guerreira
Dona do seu Ariri
Do centro da mata virgem
Comanda a tribo Tupi
Seu grito ecoou na mata
Sua flecha zuniu no ar
Iracema cabocla morena
Dona do seu Ariri


 IRACEMA


Salta pra aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara
Coroa troa nas matas
Em busca do Pitangui
Salta para aqui Iracema
Quem te chama é Tabajara
Vem linda como Açucena
Entre espinhos da Jussara


 SETE FLECHEIRA


Sou cabocla de Oxóssi
Caboclinha guerreira
Sou Sete Flecheira
Eu venho lá da mata
Com meu arco e flecha
Com ordem de Oxalá
Vem trabalhar, cabocla flecheira
Vem trabalhar, cabocla guerreira
Vem trabalhar neste congá


 FALANGE DE CABOCLA



.1

Cabocla quando desce
Não vem sozinha
Ela traz sua falange
Pra firmar a sua gira
Gira ê, ê, gira ê, a
Salve a falange
Da Cabocla (dar o nome)
Capangueiros da Jurema


.2


Arreiam os capangueiros
Os capangueiros da Jurema
Na mata quem manda é
Caboclo arriando


.3


Oxalá chamou e já mandou buscar
Os caboclos da Jurema no seu Juremá
Pai Oxalá, Pai Oxalá
É o rei do mundo inteiro
Já deu ordens pra Jurema
Mandar seus capangueiros
Mandai, mandai, minha cabocla Jurema
Os seus guerreiros, esta é a ordem suprema

 
.4


Arreiam os capangueiros
Capangueiros da Jurema
O mato queimando
Caboclo arriando


.5


Pedi a Ogum lá na mata
Pedi a Xangô na pedreira
Pedi a Mamãe Oxum
Do meio da cachoeira
A Zambi eu peço a benção
À Virgem proteção
Que livre seus filhos do mal
E afaste da tentação



Subida

1.


Mas eles vão embora
Pra cidade da Jurema
Oxalá está lhe chamando
Pra cidade da Jurema
Eles vão ser coroados
Na cidade da Jurema
Com a coroa de Arerê
Na cidade da Jurema


2.


Troncos verdes da Jurema
Aonde meu pai Oxóssi mora
Aonde Jesus passou e disse amém
Nossos caboclos vão embora


3.


Caboclo pega sua flecha
Pega seu bodoque o galo já cantou
O galo já cantou em Aruanda
Oxalá lhe chama para sua banda


4.


Caboclo pega sua flecha
Pega seu bodoque o galo já cantou
É Zambi que está lhe chamando
Pois chegou a hora e Oxalá mandou


5.
A sua mata é longe e eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Adeus caboclos, adeus flecheiros
Eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Pontos de Curumins


.6


Pronto, cheguei!
Eu venho da beira do mar
Atirando minha flecha, auê
Toda a tribo vai chegar, auê, auê, auê, auê
A ordem Deus é quem dá
Eu sou, eu sou, Caboclinho do Mar
Pronto, cheguei!
Caboclinho é de Yemanjá
Atirando minha flecha, auê
Toda a tribo vai chegar, auê, auê, auê
A ordem Deus é quem dá
Eu sou, eu sou a estrela do mar 4x


.7


Eu me perdi, Oxóssi me achou
Oxóssi não é caça, Oxóssi é caçador


.8


Oi, tava na mata, tava na mata
Tava bem escondidinho
Tava na mata, tava na mata
Caçando meu passarinho


 TUPÃZINHO


Tupã, olha é Tupãzinho
Que desce lá do céu
Trazendo a luz dos Orixás
Pra dentro desse Congá

Enquete
Porque visitou esse site?
Essa é a sua crença
Por curiosidade
Para saber mais
Ver Resultados

Rating: 3.4/5 (876 votos)

ONLINE
3


Partilhe este Site...

ME LEVA COM VOCÊ



Crie aqui o seu Site Grátis! Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net